Alteribi promove conferência sobre os Forais Manuelinos do Concelho de Mêda

Decorreu no passado domingo pelas 16 horas no Arquivo Municipal de Mêda, uma conferência subordinada ao tema “Os Forais Manuelinos de Mêda”, com apresentação da Professora Doutora Maria Olinda Rodrigues Santana.

É Professora Associada com Agregação na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, onde leciona Linguística. Publicou 33 artigos em revistas especializadas e 16 trabalhos em atas de eventos, possui 6 capítulos de livros e 32 livros publicados. Possui 144 itens de produção técnica. Participou em 7 eventos no estrangeiro e 48 em Portugal. Orientou 2 teses de doutoramento e orientou 13 dissertações de mestrado nas áreas de Humanidades, História e Arqueologia, Línguas e Literaturas e Outras Humanidades. Atualmente participa em 2 projetos de investigação. Atua nas áreas de Humanidades com ênfase em História e Arqueologia. Nas suas atividades profissionais interagiu com 16 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. No seu “Curriculum DeGóis” os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: cultura portuguesa, história, linguística portuguesa, arte, cultura escrita, tecnologia, cultura mirandesa, ciência, língua mirandesa e tradução.

Organizado pela Alteribi – Associação Transfronteiriça para o Desenvolvimento, aqui representada pelo seu presidente Dr. Rui Tina Neto, em colaboração com o Arquivo Municipal, no âmbito do protocolo de colaboração para a investigação científica que a Câmara Municipal de Mêda assinou com a UTAD no passado mês de Março, esta é mais uma das ações que aquela associação tem vindo a desenrolar neste concelho para a investigação, preservação e divulgação do nosso património tangível e intangível.

O Sr. Presidente da Câmara Municipal, Prof. Anselmo Sousa, abriu a conferência dando os agradecimentos a todos, em especial à conferencista convidada e reforçou a vontade que tem em apoiar e ajudar a divulgar estas atividades, sobretudo quando está em causa a dinâmica de trabalho na área da investigação e produção científica, não esquecendo o nosso valioso património e as razões pelas quais tem vindo a trabalhar no sentido de o estudar, preservar e divulgar, seja ele o património material ou o património imaterial.

A conferência decorreu durante cerca de duas horas e trinta minutos com uma interessante explicação sobre o conteúdo dos Forais Manuelinos de Aveloso, Longroiva, Mêda, Marialva, Ranhados e Vale de Ladrões, onde foram explicados os seus conteúdos, a forma como eles se reproduziram as suas consequências para as sociedades daquelas épocas, mas também para a forma como eles foram evoluindo e as causas das suas aplicações.

Este evento terminou com um interessante debate sobre o tema, onde todos os presentes puderam intervir e concluir sobre a importância destes documentos quinhentistas, da qual destacamos a intervenção do dr. João Paulo responsável pelo Arquivo Municipal e do Sr. Padre Luciano Moreira, nosso conterrâneo (natural de Paipenela e um excelente “expert” do património do concelho) e Reitor do Santuário da Virgem  Mártir Santa Eufêmea de Penedono, que  “brindou” a conferência com os seus excelentes conhecimentos sobre “a evolução concelhia no atual território de Mêda” e sobre a “malha paroquial por terras do atual concelho da Mêda do século XIII ao século XVIII – Fontes escritas, evolução e oragos”.