Primeiro-Ministro e o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural visitam empreendimento agrícola no concelho

Foi com enorme satisfação que o Município de Mêda recebeu a notícia sobre o Investimento no Regadio na Coriscada.

Na passada sexta-feira, dia 18 de janeiro, no âmbito da Jornada Vitivinícola, o Primeiro-Ministro visitou a empresa de vitivinicultores Quinta do Vale d’Aldeia, acompanhado do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos que anunciou que o projeto da construção do regadio da barragem da Coriscada está em condições de ser candidatado ao programa nacional de regadios.

Na intervenção do edil do Municipio de Mêda, Anselmo Sousa, manifestou que “o nosso concelho é um concelho que vive sobretudo da agricultura e, por isso, é de extrema importância a construção da Barragem Hidroagrícola da Coriscada, que faz parte da “Estratégia para o Regadio Público 2014-2020” do Ministério da Agricultura, cujo perímetro de rega irá estender-se por uma área de cerca de 210 hectares ao longo da Ribeira do Prado (sub – bacia do rio Côa). Esta infra estrutura irá ser fundamental para o aumento substancial da competitividade da agricultura, não só na sua zona envolvente mas, também, em todo o concelho, mediante o estímulo a outros investidores de outras áreas que gerem ali riqueza, com projetos que ansiamos sejam de sustentabilidade e não de fragilidade.”.Este projeto além de poder irrigar 210 hectares, abrangerá 162 proprietários e representará um investimento de 14 milhões de euros.

O Primeiro Ministro, António Costa disse que o investimento tem o “efeito reprodutivo de melhorar a produtividade” das produções agrícolas no território e simultaneamente trazer novas produções.

“E basta olhar para aquilo que foi a capacidade transformadora que o Alqueva teve no Alentejo para compreender a importância que pode ter para todo o País este alargamento deste programa de regadio”, acrescentou.

Paralelamente àquele que poderá representar o maior investimento de sempre no concelho de Mêda, o Primeiro Ministro deixou a garantia de estar empenhado de, junto da tutela do Ministério da Saúde, resolver o problema existente no Centro de Saúde de Mêda, de carência de médicos de família.

 

Discurso do Sr. Presidente da Câmara Municipal

Ex.mo Sr. Primeiro Ministro, Dr. António Costa

Ex.mo Sr.  Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Dr. Luís Capoulas Santos

Ex.ma Srª Secretária de Estado Adjunta do Primeiro Ministro, Dr.ª Mariana Vieira da Silva

Ex.mo Sr. Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Dr. Luís Medeiros Vieira

Senhor Presidente da Assembleia Municipal

Senhores Vereadores

Senhores Presidentes de Câmara e restantes Autarcas

Representantes dos Serviços desconcentrados do Estado

Autoridades Civis, militares e religiosas

Senhoras e Senhores Empresários

Senhoras e Senhores Jornalistas

Caras e Caros Convidados

Minhas senhoras, meus senhores:

É com grande satisfação que recebemos a visita de Vossas Excelências no nosso concelho. É de realçar o surgir de importantes investimentos, nomeadamente na área do vinho e da viticultura, como exemplo paradigmático a Adega Vale de Aldeia na qual os irmãos Amado tiveram a coragem de investir, numa região de acentuado declínio demográfico, de economia fragilizada e descapitalizada.

Quando se fala tanto no “medo”, gerador de sentimentos defensivos e de desconfiança, aceitaram novos desafios, novos projetos, apostando com confiança no futuro e saindo da sua zona de conforto. Guiados por uma visão vanguardista, antecipando-se no tempo, transformando encostas agrestes de aglomerados rochosos, entre Mêda e Longroiva, na Quinta Vale d`Aldeia. Projetando uma Adega modelar, equipada com a mais alta tecnologia, apostando numa produção de vinhos de excelência, largamente premiados e reconhecidos internacional.

Não poderei deixar de me congratular também da existência de outros investidores do concelho, jovens e menos jovens, que continuam a acreditar e a terem coragem de investir na nossa região, obtendo, de igual forma, resultados de excelência com prémios de reconhecimento atribuídos nacional e internacionalmente, como é o caso da Adega Vinilourenço (Jorge Lourenço); Muxagat Vinhos (Susana Lopes): Maria Lucinda Todo Bom; Quinta das Senhoras Rafael Roque; Adega Cooperativa de Mêda; Lúcia e Américo Ferraz; Constelação Vitivínicola; (Pedro Silva); Casa Agrícola Rebelo Afonso; Casas do Coro (Paulo Romão); Aravos (José Rocha); Vinhos Carvalho Martins; Agostinho Amável Costa (Ranhados) entre outros.

Para todos o meu reconhecimento. Pois é com esta gente, com estas ideias inovadoras, com este sentido pragmático, com este amor telúrico, que nutrem pelas terras que os viram nascer, que o município de Mêda quer colaborar e puder contar, de forma a que o nosso concelho alcance finalmente o destaque nacional e internacional que merece.

Portugal recebe anualmente milhões de turistas e o turismo é indubitavelmente umas das maiores fontes de riqueza do país. Os Turistas invadem o Algarve e cidades como Lisboa e Porto. O encanto que lhes proporcionamos é tal que estes pretendem mesmo prolongar o seu vínculo connosco, adquirindo imóveis em Zonas Históricas das principais cidades do nosso país. Chegou agora o momento de criar novos incentivos temáticos, de modo a que o interior lhes propicie também condições de acolhimento e deleite, revelando o nosso património natural em estado puro, proporcionando as nossas maravilhosas condições atmosféricas e os retiros de silêncio em segurança, num mundo cada vez mais instável e inseguro…

No Município de Mêda o turismo de habitação nas vertentes do termalismo, agrícola, património histórico, proporciona excelentes condições de alojamento, como por ex: Casas do Coro na Aldeia Histórica de Marialva.

O nosso concelho é um concelho que vive sobretudo da agricultura e, por isso, Sr. Ministro, é de extrema importância a construção da Barragem Hidroagrícola da Coriscada, que faz parte da “Estratégia para o Regadio Público 2014-2020” do Ministério da Agricultura, cujo perímetro de rega irá estender-se por uma área de cerca de 210 ha ao longo da Ribeira do Prado (sub – bacia do rio Côa). Esta infra estrutura irá ser fundamental para o aumento substancial da competitividade da agricultura, não só na sua zona envolvente mas, também, em todo o concelho, mediante o estímulo a outros investidores de outras áreas que gerem ali riqueza, com projetos que ansiamos sejam de sustentabilidade e não de fragilidade. Será fundamental acolher ou registar a entrada de empresas que atinjam pelo menos e, permitam-me a expressão, a maioridade, sobrevivendo mais de 10 anos, potenciando a economia do Município de Mêda.

Neste âmbito, quero realçar o investimento feito por um empresário de um concelho vizinho, investindo na produção da maçã, numa área de 70ha, que produz anualmente cerca de 1500t, exportando para diferentes partes do mundo. Com a construção da barragem aumentaria a sua plantação e consequente produção, bem como, incentivando, como referi, outros investidores de outras áreas.

Não poderia deixar de aproveitar a visita do Sr. Primeiro Ministro e do Sr. Ministro da Agricultura para os sensibilizar e insistir, porque a paciência e a persistência sempre foram virtudes beirãs, da necessidade de criar mais e melhores incentivos que visem dinamizar a economia das regiões ditas de baixa densidade, mantendo abertos serviços: como os Tribunais, os CTT, os Centros de Saúde dotando-os de recursos tecnológicos e humanos. Saliento que, neste momento, no Centro de Saúde de Mêda debate-se com uma grave carência de pessoal médico.

Em termos de convergência territorial necessitamos de algum radicalismo nas ações, numa cruzada que tem mais de meio século, de unir esforços promotores da coesão intermunicipal, ibérica e transfronteiriça de modo a esbater problemas estruturais que aqui sobressaem. Encaro com alguma expectativa a cimeira luso-espanhola, que se realizará no próximo mês de junho, na cidade da Guarda.

Em suma, não podemos olvidar que o interior tem indubitavelmente extrema Importância para o desenvolvimento do litoral, porque não queremos um litoral pressionado e sobrelotado, queremos sim um Portugal com um desenvolvimento coerente e harmonioso.

Termino, agradecendo, uma vez mais a presença de Vossas Excelências na esperança que levem a Mêda no coração e as nossas necessidades no pensamento pois o desenvolvimento é fundamental para que o interior permaneça habitado. Bem-haja a todos!

 

Galeria de Fotografias